Portfólio Artístico na Application

Atualizado: Nov 10

Se você está aplicando ou pensando em aplicar, você certamente já ouviu falar sobre os chamados “Materiais Complementares da Application”. O que são eles? São geralmente outros documentos que não são obrigatórios na application, mas que acrescentam muito na sua candidatura, sendo o famoso Portfólio um deles.


Muitos aplicantes têm muitas dúvidas sobre o envio do portfólio, uma vez que podem pensar que seu trabalho não é bom o suficiente, ou que não é necessário, ou até mesmo chegam a pensar que pode atrapalhar a sua candidatura. Mas muito pelo contrário, o Portfólio é um ótimo jeito de mostrar para as escolas (principalmente as focadas em artes) um lado seu que até então não era perceptível em outras partes da application, o lado artístico.



Primeiramente, o que é um portfólio?


Por experiência própria desta autora que já ouviu essa definição milhares de vezes durante o seu ano de application, o portfólio é simplesmente o melhor de todo e qualquer trabalho artístico que você já tenha feito nos últimos anos.


E quando eu digo todo e qualquer trabalho, é literalmente, TODO E QUALQUER TRABALHO. Não são só desenhos e pinturas, como muitos podem pensar. Você é designer? Ótimo, pode incluir seus melhores trabalhos. Você pinta garrafinhas de vidro para decorar seu quarto? Incrível! você definitivamente deveria incluir. Você é editor de vídeos? Inclua. Faz esculturas? Inclua.


E a lista não para por aí. Desde fotografias até escrita, quase tudo pode ser incluído no portfólio, desde que você não coloque qualquer coisa só para “encher linguiça", e quando eu digo isso, eu estou me referindo à começar a fazer várias peças aleatórias só para encher o portfólio. Vai por mim, não faça isso. Vou falar um pouco sobre isso no próximo tópico, segue o fio!


Mas afinal, o que eu devo incluir no meu Portfólio?


Essa é uma pergunta muito pessoal, principalmente pelo fato de que cada portfólio é único!


E por favor, não saia procurando exemplos de portfólio na internet para se comparar. Muitos aplicantes tendem a desistir de mandar um portfólio só por conta de exemplos que viram por aí, sendo que a melhor qualidade que um portfólio pode ter é a autenticidade.


Só por que seu traço de desenho não é realista como o do fulano que você viu no google, e sim mais geométrico, você vai desistir? Nem pense nisso. Assim como a arte de fulano é única, a sua também é.


E outra coisa que vale a pena mencionar aqui, não comece a criar peças desesperadamente para lotar o seu portfólio. As peças precisam ser genuínas e demonstrar quem você é e o que você gosta de fazer. Se você realmente não tem nenhum material para colocar no portfólio, tá tudo bem! Não precisa sair por aí se matriculando num curso de pintura em tela mesmo não gostando só para ter peças para o portfólio.


Então voltando ao ponto, você pode incluir no seu portfólio, basicamente, as suas peças favoritas. Se você tem o seu “Top 10 desenhos favoritos”, inclua-os.


Geralmente, alguns portfólios são centrados em uma única área, como por exemplo, um portfólio só de esculturas 3D, ou um portfólio só de Design, ou um só de escrita.


“Mas e se eu tiver um pouco de tudo?”


Sem problemas! Inclusive o desta autora aqui teve de tudo, de desenhos de roupas a roteiros de curta de cinema. Se você é uma pessoa eclética, que faz pinturas e ainda escreve, mas também faz designs, fotografia e escultura, inclua tudo! O admissions office precisa conhecer todos os seus lados.


Como descrever meu trabalho na hora de enviar o portfólio?


Confesso que essa é a parte mais chatinha do processo, mas não é tão demorada de fazer. Dependendo da plataforma que a escola oferecer, você terá a opção de adicionar detalhes sobre a peça, como tamanho, ano, material e uma curta descrição.


A parte da descrição é a pior de todas, mas nela você pode contar um pouco sobre as suas inspirações que te levaram a fazer aquela obra, quanto tempo levou para terminar, curiosidades (por exemplo: essa pintura começou quando eu sem querer derramei café na minha tela, ou algo assim), ou explicar a obra em si e por que você fez ela (por exemplo: esse design eu fiz para um trabalho escolar).


Dica de Ouro ;)


Uma dica que eu dou como uma aplicante que sofreu demais com portfólio são: webinars e workshops! Os webinars e workshops salvaram demais o meu portfólio, desde a escolha das peças até a descrição. Eu não poderia ter feito escolha melhor ao procurar meetings desse tipo sobre para assistir.


Mas onde eu encontro esse tipo de evento online? Fácil! Em sites de faculdades centradas em artes. Mesmo que você não esteja na época de aplicar para universidades, existem algumas universidades que fazem vários (mas vários MESMO) workshops sobre portfólio todo mês que se aplicam para todo tipo de application, seja para boarding ou university. Segue uma lista de algumas universidades que fazem workshops e webinars muito legais e informativos:


• SAIC (School Art Institute of Chicago)

• CCA (California College of the Arts)

• Tufts University

• Bennington College

• CalArts

• MICA (Maryland Institute College of Art)

• Entre outras…


E por último, é interessante mostrarmos um exemplo! Clique aqui para ver o portfólio da Louise, Co-fundadora do prep ;)


Gostou do post?


Já deixe o seu coraçãozinho para mostrar que esse post foi útil durante o seu processo de montar o portfólio! Comente qualquer dúvida que você tiver que a nossa equipe fará o possível para te ajudar nesse processo!


56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo