Conheça a Theresa de Oliveira

Theresa de Oliveira tem 19 anos, é natural de Aracaju, Sergipe, e é um dos Prep Changer da turma 2020.2. Gosta de assuntos que visam a liderança e protagonismo. Estudou o seu Ensino Médio na The Taft School, nos Estados Unidos, onde ganhou uma bolsa integral. Foi aceita na Immersion Essay Competition, Harvard Summer Program, e na LALA. Quer saber mais sobre a Theresa, continue lendo o post! :)



Como surgiu a ideia no exterior?


De uma forma bem aleatória! Aos doze anos, pela primeira vez ouvi falar sobre o SESC Ensino Médio por meio de um vizinho que explicou sobre a instituição e sua localização. A partir disso, entendi que existiam oportunidades por todo o Brasil e também no exterior.

Com as universidades internacionais em mente, comecei a pesquisar e me engajar em projetos sociais. Por fim, foi desta forma que conheci o Prep Change.


De que forma o programa de mentorias do Prep Change lhe ajudou durante a sua jornada de aplicação?

Para mim, a mentoria do Prep Change foi a porta para conhecer as boardings schools, pois quando fui aceita no programa não conhecia e nunca tinha ouvido falar sobre internatos internacionais. Então, o Prep foi meu primeiro contato com essa oportunidade e que contato maravilhoso! Me apaixonei pela ideia de estudar o ensino médio fora. Além disso, o programa foi responsável por fornecer todo o suporte necessário para que eu pudesse ser aceita em uma

Qual foi a sua primeira aprovação internacional?

Minha primeira aprovação internacional possivelmente foi no programa de verão de Stanford, porém eu não fui. Então provavelmente minha primeira aprovação sem contar com a MUN de Harvard, foi o summer de Uchicago. Pois, foi o primeiro summer de fora que eu fiz, mas como a LALA conta como internacional, foi ela a primeira.


Você já surtou com alguma application? Qual e como você lida com a saúde mental nesse processo?

Nossa, eu surtei muito, muito mesmo porque eu sou uma pessoa extremamente ansiosa, e pra mim eu tenho que planejar tudo na minha vida. Eu planejava todo o meu dia, o'que eu iria fazer a cada 15 minutos, se eu não fizesse isso eu surtava com aquela crise de produtividade que a gente tem com si mesmo. Principalmente, pois tive contato com algumas ideias de coach e como eu era uma criança, não tinha discernimento sobre essas ideias e tudo mais. Como eu estava focada em college na época, eu já tinha planejado toda a minha aplicação, mas quando descobri sobre boarding school eu resolvi parar um pouco e focar. O planejamento me ajudou, mas me deixou um pouco ansiosa, sobre saúde mental eu não acho que eu lidei muito bem, minha família estava muito preocupada comigo. Mas acho que a melhor coisa que eu fiz foi conversar com pessoas que estavam no processo, principalmente com o pessoal da LALA, eles foram muito acolhedores e me ajudaram muito, ter acesso a uma comunidade como essa foi essencial pra mim. Porém eu só realmente aprendi a lidar com essa questão de produtividade, aplicação somente quando eu cheguei em Taft, que foi quando eu percebi que eu já tinha chegado onde eu queria. E que então estava na hora de desacelerar um pouco e aproveitar o momento.



Essa foi a nossa entrevista ;) Quer mais? Acesse o podcast que a Theresa fala como foi o processo de aplicação para as Boarding Schools.

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo