Conheça a Isabel Pereira

Isabel Pereira tem 16 anos, é natural de Salvador Bahia mas morou a vida toda em Blumenau no estado de Santa Catarina. Foi Prep Changer da turma de 2020.2 e é apaixonada por história, filosofia, musicais e idiomas - está aprendendo russo e dinamarquês agora. Estudou na Grenå Gymnasium, na Dinamarca, e atualmente estuda na Exupéry International School, na Letônia. Além dessas Boarding Schools, a Isabel foi aceita na Bard Academy, Salem Academy, Senja Skole e Northland Scholars Academy para concluir seu Ensino Médio. Quer conhecer mais sobre a Isabel, continue lendo este post! :)



Como surgiu a ideia no exterior e, especificamente, o que lhe levou a aplicar para as Boarding Schools?

Eu sempre fui muito persistente (para não dizer teimosa) com a ideia que eu queria aplicar para estudar fora. No começo era um desejo superficial, de querer ter uma vida de filme Americano, mas com o tempo eu fui descobrindo mais e aprofundando o meu “porque”.

Eu conhecia apenas intercâmbios pagos que não eram uma realidade para mim por conta da situação financeira. Por sorte do destino eu vi um vídeo da Louise no Youtube falando sobre ela ter estudado na Suíça com bolsa de estudo. Ali foi que eu comecei a stalkear o Prep Change e agir no meu sonho. Eu participei do Prep Experience porque eu era muito nova pra mentoria, e quando tinha a idade de participar me inscrevi para a mentoria. Isso foi o que me levou a aplicar para as Boardings - tirando a razão financeira - era o foco no estudo mesmo. Intercâmbios são mais focados em se juntar na cultura, se divertir, aprender o idioma, mas o que eu queria mesmo era ir para focar nos estudos e me tornar uma jovem protagonista.


De que forma o programa de mentorias do Prep Change lhe ajudou durante a sua jornada de aplicação?

O Prep Change foi decisivo para a minha jornada. Ter um mentor ao seu lado te ajudando bem individualmente faz uma diferença enorme. Um mentor não é um professor, ele não apenas te ajuda nas essays e provas, o mentor te motiva, conversa com você, ele te ajuda em momentos de dificuldades emocionais, te apoiando.

Uma coisa que eu amava no prep era a oportunidade de conversar com admissions officer´s de escolas como Berkshire, Andover e Groton. E o apoio da comunidade do Prep também é super legal. Fazíamos calls só pra conversar mesmo sobre nossas preocupações e sonhos. Eu acho que ter uma comunidade que está passando pelo mesmo processo que você é super importante para você se lembrar que não está sozinho, que tem outras pessoas te apoiando.

Qual o momento mais marcante que você passou fazendo parte da comunidade do Prep Change?

O momento mais marcante para mim na verdade foi uma junção de momentos, foi ver a evolução dos Prep Changers que foram mentees comigo. É incrível perceber que no começo a gente realmente não conhecia nada desse mundo, tava todo mundo se jogando de primeira. Agora, eu vejo muitos que foram estudar fora, outros que começaram projetos, que se tornaram palestrantes, que decidiram ficar no Brasil. É muito inspirador ver como cada um de nós fomos encontrando nosso próprio caminho.

Qual foi a sua primeira aprovação internacional? E qual foi aquela que te deixou mais surpreso?

Minha primeira aprovação foi com a Salem e Bard Academy. Mas nem tudo foi mar de rosas porque minha bolsa de estudos não foi suficiente. Mas mesmo assim, dá um sentimento enorme de honra de ser aceito numa escola que você realmente gosta.

O que me deixou mais surpreso foi minha aprovação na Exupéry International School por ter sido especificamente uma competição de bolsas. Não foi uma aplicação normal, sabe, foi algo bem mais competitivo, com provas de inglês e matemática, e eu jurava que nunca passaria numa escola tão academicamente rigorosa. Outra coisa que me deixou surpresa foi minha Waiting List em Groton, nossa meu deus fico doida só te pensar! Para mim isso foi chocante por ser uma escola tão rigorosa academicamente e eu ter notas medianas. Isso me mostrou que o processo realmente é holístico, que você não é apenas representado pelas suas notas.


Você já surtou com alguma application? Qual e como você lida com a saúde mental nesse processo?

Já, muito, sério. Na minha primeira application eu acho que foquei demais na ideia de que eu TINHA que passar. Eu meio que me ceguei e esqueci dos meus valores, do porquê de eu estar aplicando e só fiquei na ideia de aprovação, aprovação, aprovação. Então, por exemplo, quando passei na Bard Academy sem bolsa o suficiente, eu me senti uma impostora . Tinha tanta gente falando que achava super legal eu ter passado, mas eu achava que por não ter ganho 100% de bolsa minha aprovação não era importante.

Agora minha visão mudou. Eu aplico pensando em valores. Eu aplico pensando em como o fato de eu acreditar numa educação melhor é por si só uma revolução. Eu sei que parece um exagero, mas muitos de nós somos os primeiros na nossa família a ir para uma universidade, terminar ensino médio, e eu posso te dar a certeza que seus pais te acham incrível só por estar tentando. Quando eu aplico, eu penso em representar todo esse Brasil que procura melhorar, todos os adultos que não conseguiram fazer uma faculdade. Eu penso em como simplesmente aplicar é acreditar num futuro melhor para nosso país.

Por que você acha que todo o processo de application vale a pena, pensando além das aprovações?


Muito, demais, super. Mesmo se eu não tivesse passado em nenhuma escola, eu conheci gente nova, participei de projetos voluntários, melhorei meu inglês, e tudo isso se iniciou por eu ter aplicado. O Prep Change me abriu portas para participar do Inspira Sonho, participar agora do Prep Experience, entre outras oportunidades.

Acho que a pessoa que eu me tornei depois do application é uma pessoa com mais esperança. Eu agora conheço diversas formas de melhorar sua educação, seja por programas de verão, boarding school, programa voluntário, ou clube de esportes. E isso tudo sempre me anima, pensar que sempre há algo legal que posso fazer, ver que esse mundo globalizado abre tantas portas para nós.



Essa foi a nossa entrevista ;) Quer mais? Acesse o podcast às 14:00 que a Isabel fala como foi o processo de aplicação para para as Boarding Schools.

54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo