Choque cultural: sobre viver em outro país

A primeira coisa que nos vêm à mente quando pensamos em estudar em outro país, é viver em outra cultura completamente diferente da nossa. Comidas que não conhecemos, costumes que podemos não entender, ou achar estranho, uma maneira totalmente diferente de enxergar o mundo e hábitos culturais que podem chocar com a nossa cultura e o que conhecemos do mundo! Hoje iremos falar sobre choque cultural! 🌏


A teoria do iceberg cultural


Você já percebeu como a maioria dos gringos exergam o Brasil? Samba, churrasco, carnaval, praias, calor, coletivismo e alegria. Pergunte pra alguém que nunca visitou o Brasil, e provavelmente essa pessoa irá dizer algo relacionado. Mas sabe por que isso acontece? A cultura de cada país é como um iceberg. A ponta dele é tudo que podemos ver quando estamos de fora, os conceitos pré-determinados e as nossas primeiras impressões. Mas o que está coberto pela água, que é mais difícil de enxergar e mais profundo, não conseguimos ver de cara, precisamos estar imersos na cultura para entendermos.

Vamos fazer um teste? Qual é a primeira coisa que você pensa nos EUA? Fast-food? Disney? Comer bacon no café da manhã? Hollywood e atores famosos? Bom, é como se essa fosse a ponta do iceberg da cultura de lá. Mas se enxergarmos o que está por baixo da água, veremos que é muito mais que isso.

E é isso que acontece quando sentimos choque cultural ao vivenciar outra cultura. Um choque é nada mais, nada menos do que a quebra de expectativas. Esperamos uma coisa, mas vemos que na verdade é outra. Vamos explorar mais sobre isso?




Coreia do Sul


A Coreia do Sul é um país que está cada vez mais popular entre os brasileiros, principalmente por causa do K-pop, um estilo musical sul-coreano. Uma característica muito popular é a organização da sociedade coreana. As coisas são completamente organizadas e as pessoas costumam respeitar muito as regras. É raro ver lixo no chão, ou o transporte público se atrasar. Os índices de violência são baixíssimos e as pessoas se sentem seguras andando nas ruas. Se você estiver em um café, e deixar suas coisas em cima da mesa, sem que ninguém fique vigiando, é quase certeza de que quando você voltar eles ainda estarão lá e ninguém deve ter mexido, muito menos ter roubado.


A disponibilidade do Wi-fi é praticamente total, em qualquer ponto da cidade (principalmente em Seoul, a capital da Coreia do Sul) Em qualquer lugar que você for terá internet (muitas vezes grátis) disponível e rápida, não é à toa que a Coreia do Sul é um dos países com a internet mais rápida do mundo.


O silêncio e a cultura do respeito é algo completamente diferente do Brasil, enquanto por aqui um dos lugares mais barulhentos são ônibus e metrôs, lá as pessoas simplesmente não falam nesses lugares, e provavelmente chamará sua atenção se você fizer muito barulho.


Faz parte da cultura sempre que for entregar ou receber algo de alguém, pegar com as duas mãos, isso demonstra respeito. Se você for a Coreia e conhecer alguém, a primeira coisa que vão te perguntar depois do seu nome é o ano que você nasceu ou a sua idade, a hierarquia é algo que faz parte do convívio social e é muito importante, e você deve total respeito a quem é mais velho que você, nem que seja por um ano. Por isso, pode ser difícil fazer amigos que sejam mais novos ou mais velhos do que você. Inclusive é considerado desrespeito se você chamar alguém de “amigo” (친구 chingu | lê-se “tingu”) que não seja da sua idade. E sempre terá um pronome de tratamento específico com base na sua idade ou de outras pessoas que você terá que usar. Além de que o sistema de idade coreana é bem diferente do Ocidental. Os bebês nascem com um ano de idade, ao invés de zero, como acontece por aqui. Então se aqui você tem 16 anos, lá você terá 17.


Alemanha


Uma das coisas mais perceptíveis na Alemanha, é que praticamente tudo fecha no domingo. Algumas coisas mais urgentes como farmácia e mercadinhos podem abrir, mas todas as outras lojas fecham.


Quando você compra algo no mercado que tem como embalagem uma garrafa, seja de plástico, ou de vidro, depois de esvaziar, você não deve jogar no lixo, você deve limpar e levar no centro de reciclagem, que normalmente fica no mercado, após colocar dentro da máquina de reciclagem você recebe alguns centavos por garrafa. Isso faz com que as garrafas não vão para o lixo e tenham um destino mais apropriado, legal, né? É recomendado que você leve moedinhas para o mercado, porque o carrinho de compras só se desbloqueará após colocar essas moedinhas, ou você pode comprar fichas para isso.


Se você for em um restaurante, na hora de pagar também é uma experiência um pouco diferente, normalmente vão te perguntar, se sua companhia e você irão querer pagar junto ou separado. É algo super comum, e evita aquele constrangimento na hora de pagar. Inclusive, muitas pessoas acham os alemães rudes, mas na verdade, eles são apenas direto ao ponto.


Algo muito curioso e completamente diferente do Brasil, é que os alemães comem pratos doces no almoço, e eu não estou falando de sobremesa ou acompanhamento, mas o prato principal é doce. Um almoço muito comum na Alemanha é panqueca doce com purê de maçã.


Se você for pedir um táxi na Alemanha, cuidado para não fazer nenhum gesto de apologia ao Nazismo. Lá, isso é algo levado MUITO a sério, e qualquer cuidado pode fazer com que você não seja preso. Quando vamos pedir um táxi em cidades grandes, como New York, é comum acenarmos a mão ao pedir, mas isso na Alemanha pode ser considerado apologia a Hitler. Então, não faça isso!

Alemães são muito pontuais, inclusive as festas e eventos tem hora pra começar e terminar. Se for começar às 16h46, e terminar às 19h58, vai acontecer tudo no horário, não duvide da capacidade dos Alemães de seguir regras. Você deve apenas atravessar a rua se o sinal estiver verde, não importa de não tiver nenhum carro, estiver frio, ou seja de madrugada, apenas no sinal verde, e a mesma coisa acontece com os carros.


Lembre-se, nunca apareça de surpresa na casa de alguém, isso é considerado falta de educação, sempre deve marcar hora, não importa se essa pessoa for próxima a você. Não é comum, nem bem visto, cumprimentar as pessoas com calorosidade, como aqui no Brasil, com abraços e beijos, mas apenas com um aperto de mão e um contato visual firme.

Os Alemães não tem medo de mostrar o corpo, e não importa se estiver em público. Ir em piscinas, lagos, e rios em público, é comum ver pessoas trocando de roupa na frente de todo mundo.

Em algumas rodovias não existem limites de velocidades, inclusive alguns estrangeiros que não estão acostumados, podem ser parados pela polícia por estar andando devagar demais. São conhecidos como Autobahns, do lado direito, é pra quem quer andar mais devagar, do lado esquerdo os carros podem ultrapassar 300km/hora. Uma loucura, certo?


E por último, mas não menos importante, as pessoas também são super silenciosas nos transportes públicos, e elas não falam nada e é um completo silêncio.


India


Uma das coisas mais memoráveis da Índia, é o seu trânsito caótico. Um dos motivos pode ser porque em um país com 3x a menos do tamanho do Brasil, com mais de 1 bilhão de pessoas é no mínimo caótico, são muitas pessoas por m2. A desigualdade social é imensa e muitas pessoas vivem com muito pouco. New Dhéli é a cidade mais poluída do mundo. A higiene é algo praticamente inexistente, onde o saneamento básico é ruim, e as pessoas não lavam a mão, principalmente aquelas que fazem comida de rua. É muito comum pessoas ficarem doentes por sujeira.


Na comida, os indianos usam e amam condimentos, muitos temperos e apimentadas. Muitas religiões indianas são veganas e por isso muitos pratos também são. Um fato curioso é que as pessoas não usam talheres, elas comem com a mão, se você for turista, provavelmente irão te oferecer talheres, mas as pessoas locais usam as mãos. Inclusive, as pessoas comem apenas com a mão direita, porque a mão esquerda é considerada impura e deve ser usada apenas para a higiene. E o que leva ao fato, de que as pessoas não usam papel higiênico na Índia, elas se limpam com as mãos, e muitas vezes usam uma ducha higiênica, ou o famigerado baldinho com água, por isso o vaso sanitário são daqueles modelos que precisa agachar no chão.


A Índia é um país super conservador e religioso, por isso demonstrações públicas de afeto não são permitidas e nem bem vistas. As roupas usadas devem ser soltas, largas e discretas e cobrir o corpo, as mulheres não podem mostrar os ombros, e os indianos não usam bermudas. Inclusive calça jeans, por ser colada não é uma boa de se vestir na Índia. Só é possível entrar nos templos descalços e com todas as partes abaixo do pescoço cobertas, em alguns, os homens precisam cobrir a cabeça.

Esse código de vestimenta é considerado principalmente para as mulheres, pois para um homem indiano, uma mulher com roupas justas, é vista como uma mulher que está pedindo pra ser assediada, por ter esse tipo de cultura e pensamento, não é um país onde as mulheres turistas se sentem confortáveis e livres. É uma cultura dos indianos se sentirem no direito de assediar as mulheres, ficar encarando, e homens aleatórios pedir em casamento. Infelizmente, a Índia é um lugar onde existem muitos casos de estupros de turistas mulheres. Muitos indianos tentam enganar e dar golpe em turistas, cobrando extremamente mais caro um serviço ou produto.

E por último, os meios de transportes podem ser diferentes de tudo que você já viu, os Tuk Tuks, que são como bicicleta-táxis puxados por homens, e os Rickshaw, que são como táxis, também puxados por pessoas.


Como lidar?


Existem os 5 estágios do choque cultural. Quando chegamos em um país somos inundados por aquela euforia de estar conhecendo uma nova cultura, ansiosos pelas experiências que teremos, pelas comidas que iremos experimentar, pelos lugares que vamos conhecer, e pelos amigos que faremos. Tudo é novo e você está aproveitando, esse é o estágio da Lua de Mel, onde tudo parece perfeito, mas você está apenas olhando para a ponta do iceberg.


A 2ª etapa é a rejeição, onde o choque cultural vem a realidade e nos deparamos que as coisas são muito diferentes de como estamos acostumados. Algumas pessoas podem se sentir rejeitadas, e que elas não pertencem àquele lugar. Como o clima ser muito frio, ou muito quente, as pessoas serem mais fechadas e sérias como de costume.


Na 3º fase, a de adaptação, você vai aprendendo como as pessoas desse lugar vivem, porque já está se acostumando. O clima, a comida, e as relações sociais. E as coisas ao seu redor começam a fazer sentido. Na 4º etapa, acontece a integração, que é a etapa, onde você não é apenas um turista, mas se considera pertencente àquele lugar. Isso pode levar um tempo, para que a pessoa se integre à cultura desse lugar. Algumas pessoas levam anos para se acostumar e integrar-se completamente a um lugar. E por último, pode acontecer o choque cultural reverso, a 5º etapa, que acontece quando você retorna para o país que você vivia antes e percebe que tudo parece diferente, mas na verdade nada mudou, apenas você.




Se você está em outro país atualmente ou já conheceu outro país em algum momento, nos conte como você lidou com as situações de choque cultural, e qual foi o maior choque que você enfrentou?

Até o próximo post.


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo